Perfil psicológico dos pacientes que apresentam com recorrência aftas na cavidade bucal

Um estudo realizado pelo autor Mahmoud K AL-Omiri e colaboradores, no Departamento de Medicina e Cirurgia Oral das Universidades de Ama e Irbid, na Jordânia, avaliou a correlação entre os perfis psicológicos, traços da personalidade, presença de depressão e ansiedade na aparição de aftas recorrentes da cavidade bucal de cem (100) pacientes, sendo que cinqüenta (50) pacientes apresentavam aftas recorrentes e cinqüenta (50) pacientes foram considerados controle, ou seja, nunca ou raramente apresentavam aftas na cavidade bucal.

Para analisar os perfis psicológicos e os traços da personalidade dos pacientes, eles utilizaram a Escala de Depressão e Ansiedade do Hospital St. James, da Inglaterra, e um inventário que acessa os cinco traços de personalidade mais comuns presentes nas pessoas, chamado de teste de NEO-FFI. Ambos são testes considerados de alta credibilidade no meio acadêmico, os quais fornecem uma ideia sobre os níveis de ansiedade, depressão, humor e a personalidade dos pacientes pesquisados.

Como resultado da pesquisa, a única associação estatisticamente comprovada que causou aftas recorrentes entre os participantes do estudo foi a presença de situações de estresse e ansiedade na vida dos mesmos. Não houve nenhuma associação em relação à presença de aftas e os traços da personalidade ou a presença de depressão nos participantes do estudo.

Em suma, situações estressantes e que nos deixam ansiosos podem aumentar a presença de aftas nas nossas cavidades bucais, o que, ainda citado no estudo, deixaria-nos ainda mais irritados e estressados em virtude das perturbações que essas lesões nos causam, sendo a mais prejudicial à dor, muitas vezes elevada, ao fazermos as atividades corriqueiras, rotineiras e extremamente necessárias do nosso dia a dia, tais como falar, beber e comer.

  • Share post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*