Parotidite Recorrente Devido à Presença de Cálculo Salivar (Pedras na Glândula Salivar)

Parotidite Recorrente Devido à Presença de Cálculo Salivar (Pedras na Glândula Salivar)

As glândulas parótidas são duas glândulas que produzem saliva – dentre outras glândulas presentes em nossas cavidades bucais – e estão localizadas na região das bochechas (próximo às orelhas), cujos ductos secretores de saliva (chamados de ductos de Stenon) localizam-se próximo aos segundos molares, internamente na cavidade bucal.

A parotidite é uma inflamação desta glândula, que, como qualquer inflamação em outra localidade do corpo, poderá causar dor, edema (inchaço), vermelhidão, calor, desconforto, pressão, palpitação local e irritação.

Diversas poderão ser as causas das parotidites, dentre estas, infecção por bactérias ou vírus, tumores, síndromes autoimunes (síndrome de Sjogren) e, pasmem, pedras (cálculos) salivares, tais como, os cálculos que afetam os rins.

A formação das pedras (cálculos) salivares, denominados também de sialolitos, pode ter uma propensão genética, influenciando aqui, também, a anatomia (formato) da glândula de cada ser humano na formação dos mesmos. Desidratação, excesso de sais minerais no organismo, sedentarismo, xerostomia (diminuição na secreção salivar) provocada por medicamentos ou pela manifestação de alguma síndrome, são condições habituais que favorecem à formação dos cálculos salivares.

As manifestações clínicas destas pedras presentes em uma glândula salivar podem ser desde totalmente imperceptíveis e indolores até totalmente perceptíveis (nos exames de imagens) associadas à quadros clínicos desconfortáveis e doloridos, que causam uma tremenda perturbação no dia a dia dos clientes portadores destes cálculos salivares.

As dores podem manifestar-se em eventos que estimulem a produção de saliva ao longo do nosso dia a dia (a ingestão de alimentos, por exemplo), pois, a saliva não consegue encontrar um meio de extravasar para a cavidade bucal porque encontra uma obstrução (a pedra) no ducto do seu trajeto. Desta forma, o acúmulo de saliva “presa” dentro da glândula provoca a pressão que é a origem da dor relatada pelo paciente.

Outra manifestação perturbadora e frequente de dor nas glândulas parótidas com sialolitos é a reinfecção das glândulas de forma recorrente (frequente), pois, estando o ducto com pouca ou nenhuma presença de saliva devido à obstrução, é passível que bactérias colonizem o seu interior (lúmen), causando infecção e, consequentemente, todo um quadro clínico de sinais e sintomas de uma infecção.

Existem diversas maneiras de tratamento para as parotidites recorrentes causadas pela presença dos cálculos salivares. Desde as mais conservadoras (tratamento medicamentoso somente) até as mais agressivas (remoção cirúrgica completa da glândula). Como paciente, você deverá ficar atento, pois, algumas delas podem não ser eficazes para a resolução do quadro clínico de uma forma definitiva. E, nem sempre, optar pelo tratamento mais radical será também a melhor opção, pois, poderão ocorrer sequelas temporárias ou até definitivas que não compensarão o benefício da intervenção.

Conversar com profissional capacitado e disposto a tentar em sucessão a gama de tratamentos disponíveis para a resolução da parotidite recorrente provocada por cálculo salivar é e sempre será a melhor alternativa, pois, através de um escalonamento na agressividade da intervenção, os tratamentos serão introduzidos e estabelecidos até que o quadro clínico seja de forma completa e definitiva resolucionado.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*